segunda-feira, 26 de março de 2018

Até logo, Dragon Ball

A madrugada do dia 25 de março de 2018 ficou marcada com o encerramento do Torneio do Poder e infelizmente de Dragon Ball Super. Sim, após 131 episódios as novas aventuras de Goku e seus amigos chegaram neste ponto.

Nas linhas abaixo trago um resumão sobre as Sagas.

Dragon Ball Super começou com os filmes A Batalha dos Deuses e O Renascimento de Freeza. O primeiro lançado no Brasil em 11 de outubro de 2013, enquanto o último no dia 18 de junho de 2015. Os dois longas contaram as histórias dos Guerreiros Z após a vitória de Goku sobre Majin Boo, na última Saga de Dragon Ball Z.

No primeiro filme conhecemos o Deus da Destruição, Beerus, e o seu Anjo, Whis. Personagens sucessos de crítica e público, no qual se tornaram recorrentes no universo de Dragon Ball. Este longa conta a história de Beerus na busca de enfrentar o Deus Super Saiyajin.

Beerus se encontra com Goku no planeta do Senhor Kaioh e lá eles lutam, no entanto, o Deus da Destruição vence com facilidade e parte para a Terra com intuito de destrui-la, caso não encontre o Deus Super Saiyajin. Com ajuda de seus amigos, Goku se torna este Deus, porém seu poder não é o bastante para vencer o novo inimigo, que ao longo da luta tem simpatia pelo Deus Super Saiyajin e não destrói a Terra.

E no segundo filme, um velho conhecido é revivido e clama por vingança. Freeza volta ao cenário de Dragon Ball com o objetivo de derrotar todos os seus inimigos do passado. Ele vai até a Terra com o seu exército e enfrenta os Guerreiros Z.

Goku e Vegeta, que treinavam com Whis no planeta de Beerus voltam à Terra para lutar contra o Freeza. O velho inimigo demonstrou um poder incrível ao se tornar dourado. Contudo, como ainda não estava acostumado com aquela forma, foi vencido por Goku que havia chegado ao nível de Super Saiyajin Blue.

Porém, Goku se descuida e Sorbet, um dos capangas de Freeza o acerta com um disparo a laser, deixando o Saiyajin sem reação. Vegeta, que também havia alcançado a forma de Super Saiyajin Blue, toma o seu lugar e vence o inimigo com facilidade.

Quando Vegeta daria o golpe de misericórdia, Freeza decide destruir a Terra. Quando pensamos que seria o fim, Whis havia criado um campo de força, no qual protegeu algumas pessoas. O Anjo e Beerus falam para Goku que eles podem voltar no tempo, com a condição do Goku vencer Freeza de uma vez por todas.

Quando há a volta no tempo, Goku avança e pede para Vegeta sair da frente, quando acerta um Kamehameha e vence Freeza.

Os filmes fizeram sucesso e Dragon Ball continuou as suas histórias com o nome de Dragon Ball Super. Os primeiros episódios são um repeteco dos longas e as novas aventuras começam com a aparição do Deus da Destruição, do Universo 6, Champa, irmão de Beerus. Com esse novo personagem podemos saber que não havia apenas o universo de Goku e seus amigos.

Com o passar dos episódios, os Deuses da Destruição decidem organizar um Torneio de artes marciais. O vencedor teria direito a um desejo das Super Esferas do Dragão, concedido pelo Deus Dragão/Super Shenlong. O Universo 7 vence e como pedido, Beerus solicita que a Terra seja reconstruída no Universo 6. E no final do Torneio conhecemos o poderoso Zeno Sama, o ser mais poderoso de todos os universos.

Depois dessa Saga tivemos um novo inimigo, que no começo conhecíamos apenas como Goku Black. Essa foi a primeira aventura de Goku e seus amigos, na qual não sabíamos realmente quem era o antagonista. A Saga começou no episódio 47 e o segredo permaneceu até o capítulo 60.

O inimigo se tratava de Zamasu, um Kaioshin do Universo 10, que detestava os humanos e seres inferiores na visão dele. Numa das linhas do tempo de Dragon Ball, ele se encontrou com Goku, lutou contra ele e percebeu como os humanos podem ser perigosos, e decidiu acabar com essas ameaças.

Zamasu começa o seu plano ao matar o seu mestre, Gowasu. Com isso, ele se apodera do Anel do Tempo e prossegue com o objetivo de aniquilar os humanos. Ele junta as Super Esferas do Dragão, pede para trocar de corpo com Goku. Ele mata o Saiyajin, Chi Chi e Goten.

Este Zamasu se alinha com o Zamasu do futuro (este imortal graças ao pedido das Super Esferas do Dragão). Como Goku Black, o Zamasu do passado viaja para o mundo de Mirai Trunks e espalha destruição.

Mirai Trunks volta ao passado para pedir ajuda a Goku e seus amigos. Os Saiyajins têm muito trabalho e não consegue vencer os dois Zamasus nas suas primeiras tentativas.

Nessa Saga tivemos a aparição do Goku Black como Super Saiyajin Rosé, a fusão de Goku e Vegeta com os brincos Potara, tornando-se no sensacional Vegeto e a explosão de poder de Mirai Trunks, no momento decisivo.

Após essa Saga tivemos a do Torneio do Poder, a última de Dragon Ball Super.

O Torneio contou com os Universos com menor nível mortal médio, no caso 8. Os Universos 2, 3, 4, 6, 7, 9, 10 e 11 foram convocados para as lutas, enquanto os Universos 1, 5, 8 e 12 ficaram de fora.

Cada Universo contava com dez guerreiros e quem tivesse todos os participantes eliminados, o Universo seria apagado. Contudo, o lutador só era eliminado caso fosse jogado para fora da arena, localizada no Mundo do Vazio.



Muitas lutas foram de tirar o fôlego e deixava os fãs ansiosos pelos episódios que estavam por vir. Conhecemos muitos personagens de outros Universos. Pudemos nos interessar por histórias distintas, nas quais enriqueciam o Torneio. O seu encerramento foi digno e merecedor. Os amantes do anime ficaram satisfeito com o resultado.

Para quem é fã de Dragon Ball, quando surgiu a notícia de novos episódios, a ansiedade era imensa para saber o que Akira Toriyama juntamente com a Toei planejava entregar para os fãs.

O anime superou expectativas, foi aclamado pelos fãs, que comentavam em grupos sobre os episódios e desenvolviam teorias sobre o que estava por vir.

Com o novo filme previsto para ser lançado em dezembro, no Japão, é esperar para que o nível de lutas se mantenha e esperar para saber se haverá novas Sagas.

Só tenho a agradecer pelo anime fazer com que eu voltasse a acompanhar a história dos Guerreiros Z. Foi a primeira vez que vi todos os episódios legendados, pois não ia conseguir esperar chegar a versão dublada, de tanto que eu gostei de Dragon Ball Super.

As histórias prendiam o espectador, nos deixava com curiosidade para saber o que estava por vir. Os novos personagens trouxeram uma curiosidade a mais. Foi bacana ver antigos Guerreiros Z com alguma importância, principalmente no Torneio do Poder. Destaco o Androide Número 17, uma participação interessante do início ao fim.

Em Dragon Ball Super podemos notar que apesar do seu protagonismo, Goku não derrotou nenhum inimigo decisivo. O Saiyajin foi vencido por Beerus, não derrotou Freeza de imediato, no torneio entre os Universos 6 e 7 não venceu Hitto. Após diversas tentativas, Goku Black foi finalmente derrotado por Zeno Sama, do futuro. Enquanto no Torneio do Poder, Goku superou os seus limites para chegar ao final, porém não se sagrou campeão.

Por conta do anime, pude relembrar meus tempos de criança/adolescente e ver que a magia envolta de Dragon Ball continua a mesma.

Muito obrigado Dragon Ball e até breve.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Desinformação demais

Há muito tempo é chover no molhado dizer sobre a montanha de informações que recebemos todos os dias, quando as acessamos pela internet na tela do celular, notebook, PC, tablet, etc. É algo sem medida e em algumas situações sem a devida apuração.

No meu texto Revista americana publica suposto Alzheimer de Jack Nicholson, pela segunda vez, mencionei sobre os boatos em torno da saúde do renomado ator de Hollywood e que a revista em questão espalhou esse rumor para vender publicações.

Volta e meia surgem notícias falsas principalmente nas redes sociais desde pessoas supostamente sequestradoras de crianças até toque de recolher inexistentes. Também é notável a quantidade de golpes que circulam.



A lista é imensa, mas principalmente pelo Whatsapp acontece esse problema e muitas vezes, pessoas mal intencionadas aproveitam para aplicar golpes pelo aplicativo. Os mais famosos usavam as marcas: McDonald's, Boticário, Kopenhagen e recentemente a Netflix.

No caso das três primeiras citadas, os ladrões usavam a reputação delas para criarem falsas promoções e quando a pessoa clicava no link malicioso, ela era direcionada para uma página na qual se preenchia um falso formulário e assim, eles obtinham os dados do desavisado.

O que me surpreende é a falta de apuração das pessoas em procurar saber se existe tal promoção, pois da mesma maneira que ela teve acesso ao golpe, ela podia se precaver ao acessar o site ou as redes sociais oficiais da marca.

Para minha ingrata surpresa, mesmo quando há o alerta sobre esses golpes, algumas pessoas juram por tudo quanto é mais sagrado, que fizeram o cadastro e estão no aguardo para receber a confirmação de sua participação naquela promoção.

Então, sinto que mesmo com a facilidade na qual temos para acessar as informações, mais ainda as pessoas acreditam naquilo que leem pela primeira vez sem se dar ao trabalho de verificar. Ou seja, as pessoas de modo geral consomem muito conteúdo, porém em algumas situações não conseguem separar o que é procedente do falso.

quarta-feira, 8 de março de 2017

Haja coração! Barcelona está nas quartas da Champions

No jogo de ida, o PSG fez um jogo excelente, não deu chances para o Barcelona e goleou o Barça por 4 a 0. Muitas pessoas acreditaram que a situação estava resolvida e os catalães não iam conseguir reverter esse resultado.

Outros pensaram que o Barcelona tinha uma missão impossível, mas contava com a força da torcida e motivação durante a semana para reverter a situação.

Na tarde de hoje, o futebol nos proporcionou um momento histórico na Liga dos Campeões e no futebol, em si. Com muita luta, entrega e suor, o Barcelona conseguiu vencer o PSG por 6 a 1, no Camp Nou. Os catalães abriram 3 a 0, sofreu um gol e por conta do gol fora de casa, o time francês levava a classificação.

Porém, o Barcelona não desistiu e nos minutos finais marcou os gols necessários e garantiu heroicamente o seu lugar nas quartas de final da Champions.


Emilio Morenatti/AP


Principais lances da classificação heroica

Precisando marcar pelo menos 4 gols, o Barcelona partiu para o ataque e sufocou o PSG, que apenas procurou se defender no começo do jogo.

Na base da pressão, o Barça abriu o placar logo aos 2'. Na ponta direita, Rafinha cruzou para a área, após bate e rebate, Suarez disputou a jogada e desviou de cabeça, Meunier tentou tirar, mas com ajuda da tecnologia, o árbitro confirmou o jogo do Barcelona.

Depois do gol, o PSG aos poucos saia da defesa e procurava ganhar campo. Draxler, na ponta esquerda da área do Barça, tentou o cruzamento, Mascherano deu o carrinho, a bola bateu no braço esquerdo do zagueiro e o juiz não marcou pênalti.

O Barça criou uma boa chance. Rafinha virou o jogo, Neymar matou a bola no peito e com certa liberdade, arriscou o chute, que passou à direita do gol de Trapp.

A partida seguia com a pressão do Barça e a atitude defensiva do PSG. A pressão funcionou aos 40'. Iniesta aproveita vacilo de Marquinhos e toca de calcanhar, Kurzawa tentou tirar, mas mandou para o próprio gol.

Na volta do segundo tempo, as duas equipes voltaram com o mesmo ritmo da primeira etapa. Logo aos 3', o Barcelona teve um pênalti a seu favor. Na ponta esquerda da área do PSG, Iniesta tentou o passe para Neymar, porém Meunier escorregou e derrubou o camisa 11. A penalidade foi marcada pelo árbitro auxiliar.

Messi cobrou o pênalti com força no canto direito de Trapp, mas sem chances para o goleiro.

A resposta do PSG foi logo em seguida. Meunier deu um chute no Neymar e cruzou para a área. Cavani desviou de carrinho e a bola bateu na trave esquerda de Ter Stegen.

O PSG conseguiu diminuir. Bola levantada na área do Barça, Kurzawa venceu a disputa de cabeça com Rakitic e a bola sobrou para Cavani. O uruguaio ajeitou o corpo e chutou forte sem chances para Ter Stegen.

Na jogada seguinte, quase o PSG marca o segundo. Draxler lançou para Cavani, o atacante saiu na cara de Ter Stegen, que chutou, mas o goleiro defendeu com o pé esquerdo.

O jogo ficou truncado, sem muitas chances de ambos os lados. Mas, o Barça conseguiu marcar o quarto gol aos 41'. Neymar sofreu falta de Di Maria. O camisa 11 cobrou com perfeição no canto direito de Trapp, que nada pôde fazer.

Antes dos acréscimos, Suarez foi lançado na área e na disputa de bola, foi derrubado por Marquinhos, o juiz marcou o pênalti. Neymar bateu no canto esquerdo de Trapp, que caiu para o outro lado.

No finzinho de jogo, o Barcelona tirou um coelho da cartola. Neymar, cruzou para a área, Sergi Roberto saiu da marcação e desviou, a bola morreu no fundo das redes, dando a classificação para o Barcelona.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Real vira e encaminha vaga nas quartas

Em partida movimentada, o Real Madrid saiu perdendo, mas venceu o Napoli por 3 a 1, no Santiago Bernabéu, no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões. Insigne abriu o placar para os italianos, enquanto Benzema, Toni Kross e Casemiro garantiram a virada merengue.

Com a vitória de virada, o time merengue pode perder por 1 gol de diferença na partida de volta, marcada para o dia 07 de março, no Estádio San Paolo, em Nápoles.




A partida

O Real começou na pressão, enquanto o Napoli procurou se fechar na defesa. O time de Madrid possuía a posse de bola e tentava sair na velocidade.

Mas, quem saiu na frente foi o Napoli. Aos 9', após troca de passes um pouco depois da intermediária, Insigne recebeu a bola, enxergou Navas adiantado, chutou e a bola foi no canto esquerdo, sem chances para o goleiro.

O time merengue não se abalou e partiu para cima em busca do empate. E de tanto tentar, conseguiu a igualdade aos 19'. Carvajal cruzou com efeito na área, Benzema subiu mais que a zaga, desviou de cabeça e deixou tudo igual.

E tinha mais Real no ataque. Modric tocou para Cristiano Ronaldo, o português estava na grande área, arriscou com o pé esquerdo, mas a bola passou longe do gol defendido pelo Reina.

No fim do primeiro tempo, os merengues tiveram a chance de marcar o segundo. Cristiano Ronaldo tocou para o Benzema na grande área, o atacante chutou, mas Reina conseguiu desviar para escanteio.

O Real Madrid conseguiu virar o jogo no começo do segundo tempo. Após jogada de Cristiano Ronaldo pela direita, ele tocou para o meio da área e Toni Kross chutou de primeira, no canto esquerdo de Reina.

Não demorou muito para o Real marcar o terceiro gol. A defesa do Napoli afasta o perigo parcialmente e Casemiro chutou sem deixar a bola cair, acertando o canto direito de Reina.

O Napoli teve a chance para diminuir o placar. Mertens recebeu a bola em profundidade, arriscou o chute cruzado, mas para nas mãos de Navas.

A partida acalmou o ritmo. O Napoli tentava descontar para levar uma tranquilidade no jogo de volta, enquanto o Real procurava manter a posse de bola e gastar o tempo.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

A versatilidade

Uma pessoa versátil consegue se adaptar a determinadas situações e exercer diferentes funções. Em tempos de crise como os que vivemos, um profissional que tem essa qualidade possui certa vantagem sobre os seus colegas e é útil para a empresa.

Contudo, não adianta o funcionário desenvolver diversas tarefas ao mesmo tempo, caso o resultado seja trágico e todas aquelas tarefas precisem ser refeitas.

Para poder executar os seus trabalhos com êxito, a pessoa precisa organizar o seu tempo, determinar quais são as prioridades, perceber no cotidiano diferentes formas de realizar as suas tarefas de forma mais completa e por que não, em menos tempo?

A pessoa versátil, também chamada de multitarefa, precisa convencer a empresa de que ela possui habilidades importantes e não que ela seja apenas um "tapa buraco".

Outro diferente de um profissional versátil é o de estar disposto a aprender e absolver novos conhecimentos, não ter medo de errar, se atentar aos detalhes e realizar um trabalho satisfatório para ele e a empresa.


Mesmo sem eu saber o que era versatilidade a utilizava desde pequeno. Aos 6 anos comecei a praticar esporte e o meu pontapé inicial foi no futsal. Para a minha surpresa e satisfação fui titular na campanha do título do VI Torneio da Amizade, em 1993, pelo time Rolamentos Schaeffler.

Três anos depois me aventurei no futebol de campo. Enquanto, que no futsal atuava como ala esquerdo e fixo, nos gramados fazia às vezes de lateral-esquerdo e zagueiro. Aos 12 anos fiz testes para jogar vôlei e handebol, passei em ambos. Então, a minha rotina passou a ser escola e treinos de segunda à sexta, enquanto atuava nas partidas aos sábados alternando uma modalidade da outra.

Com o passar do tempo desisti da prática esportiva, algo que me faz falta, mas não tinha como conciliar faculdade, trabalho e esportes.

Antes de atuar no jornalismo trabalhei como balconista de loja de material para construção, auxiliar de escritório e administrativo. No telemarketing fiz ativo em vendas e posteriormente em cobrança.

No meu texto "Após 4 anos e meio de luta, uma grande vitória" destaco o meu início no jornalismo até a minha formatura. A versatilidade me acompanhou nessa trajetória e segue comigo. Tanto que já produzi conteúdo esportivo, de celebridades, música, economia e notícias no geral. Trabalho com clipping há mais de 3 anos, mas sempre quando posso deixo registrado um texto.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Obrigado Olimpíadas e Paralimpíadas

No ano de 2010 tive o prazer e responsabilidade de fazer parte da equipe do extinto site "Fanáticos por Futebol" na cobertura da Copa de Mundo na África do Sul. Lembro bem dos desafios e da conquista não somente minha, mas de todos os envolvidos.

Seis anos se passaram e os Jogos Olímpicos aconteceram no Brasil. Para a minha felicidade, a Agência Virta, na qual trabalho, teve o monitoramento das Olimpíadas e Paralimpíadas, e fui escalado para fazer parte deste job.

Agradeço imensamente a Claudia Reis e Rodrigo Albuquerque, gestores que confiaram não só no meu trabalho, mas em toda a equipe formada por Cayque Pitta, Felipe dos Santos, Giovana Valenzi e Thierri Parmagiani.

Lidar com um evento da dimensão dos Jogos Olímpicos foi um grande desafio, no qual a equipe se empenhou em vencê-lo e assim pudemos realizar algo que nos dê orgulho de ter feito parte.

A diferença do trabalho feito em 2010 para este em 2016, é que na Copa Mundo fiz a cobertura dos jogos, entrevistas pós-jogos. Enquanto nas Olimpíadas e Paralimpíadas, eu pude entender melhor como as marcas atuam nos patrocínios e na realização dos seus cases para ficarem na lembrança das pessoas mesmo que por pouco tempo.


Com o fim dos Jogos Olímpicos neste domingo (18/09) fica o gostinho de quero mais e a espera do próximo grande evento esportivo, a Copa do Mundo na Rússia em 2018.

Até breve e obrigado Rio 2016.

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Postura no trabalho

Você já deve ter lido diversas dicas sobre postura no trabalho, contudo esse assunto é recorrente seja no mundo corporativo ou nas redes sociais.

Eu vejo que postura profissional é fundamental para o sucesso na empresa e que sem ela, você não consegue nenhum tipo de crescimento ou reconhecimento.

O profissional precisa entender que a empresa tem regras, política empresarial. A instituição cria esses regimentos para não fugir da sua missão, objetivos e também para manter a ordem entre os colaboradores.

Caso a empresa libere o uso de traje informal em todas as sextas-feiras, fica um pouco deselegante pedir mais dias assim sem demonstrar resultados positivos para essa mudança, pois a instituição pode alegar nenhuma diferença significativa e vetar o pedido.

Eventos promovidos pelas empresas têm o intuito de promover a interação e integração de diferentes setores. São nesses momentos em que o profissional pode trocar experiências com outros colegas e aprender algo novo, afinal conhecimento sempre é bem vindo.



Ser educado, cordial, bom ouvinte, saber se expressar na hora certa e pontualidade faz do profissional uma figura respeitada perante os colegas. Uma pessoa avessa a essas características deixa de ser bem visto e sonoramente ignorado. O bom humor ajuda é benéfico em doses tranquilas, porque excesso de alto astral pode fazer com que o profissional seja considerado imaturo.

Caso você discorde de alguma função que lhe foi dada e se sinta desvalorizado, não reclame para os seus colegas, tenha uma conversa sincera com o seu chefe e exponha a ele o que o seu trabalho traz de benefício para a empresa e como pode ser aproveitado.

Quando deixar a empresa seja por demissão ou você encontrou um trabalho melhor, mantenha a cordialidade agradecendo pela oportunidade, pelo período de convivência e conhecimento. Em um futuro, a instituição pode lembrar-se de você e chamar para voltar a colaborar.

Nesses casos de desligamento da instituição, atitudes como pegar objetos dos colegas, faltar ao trabalho sem dar satisfação, fecham qualquer tipo de oportunidade desse profissional retornar a empresa.

As redes sociais também são fundamentais para um bom relacionamento entre profissional e empresa. Aquele colaborador que não segue a instituição nas mídias sociais, que reclama de outros lugares que trabalhou, que posta conteúdos de forma ofensiva e fotos constrangedoras, certamente não fará mais parte da empresa.

Estar atento às novidades propostas pela empresa, procurar adquirir conhecimento de uma área de seu interesse, dar ideias relevantes faz com que o profissional fique na mira para receber ofertas de crescimento.

Fazer reflexões sobre sua postura no ambiente corporativo ajuda no seu crescimento, seja humilde ao reconhecer seus erros e enalteça de forma tranquila os seus acertos, demonstre que sabe dosar a pressão de um equívoco e a euforia do sucesso. Acima de tudo, com as subidas de degraus não se esqueça de onde veio e o suor que você teve para chegar ao cargo atual, a arrogância e prepotência não podem fazer parte de você.