quinta-feira, 11 de junho de 2015

Gravidez não planejada

No clima do dia dos namorados, eu falarei sobre um assunto que surpreende muitos casais seja adolescentes ou adultos, e acontece com certa frequência. Trata-se da gravidez não planejada.

Filho é uma benção, uma dádiva divina que merece ser celebrada. Contudo, quando acontece uma gravidez inesperada e o casal é totalmente despreparado tanto na maturidade quanto financeiramente falando, essa gestação e vinda do bebê ao mundo inspiram cuidados redobrados. O primeiro passo é dar continuidade à gestação e assumir as responsabilidades que estão apenas começando.



Pela falta de maturidade, o casal pode se desesperar e não saber o que fazer. Além de não saber como contar para a família sobre o acontecido. Em alguns casos, o aborto é pensado.

No quesito financeiro, os pais precisam se apertar o máximo para poder suprir as necessidades que o bebê precisa dentro e fora da barriga da mãe. Quando o casal não possui condições, é costumeiro ter ajuda dos avôs e familiares.

Toda ajuda é bem vinda, mas quando o casal não tem autonomia sobre a criança, as outras pessoas tomam conta e o menor deixa de ser educado somente pelos pais, um fato que acontece bastante.

Quando o casal é desleixado, essa interferência não preocupa, afinal o filho foi criado e está tudo certo, pois não tiveram muito trabalho. No entanto, pais de verdade, precisam tomar as rédeas, educar a criança, transmitir valores pessoais, ensinar o que é certo e o errado, aceitar apenas ajuda, um auxílio e recusar que tomem conta.



Em todo caso, a gravidez é uma etapa na vida séria em que o casal tem que ter a tranquilidade, serenidade e se unir a cada dia para superar os desafios. Se o feto veio de forma inesperada e sem os pais terem o mínimo de estrutura, fica a lição, afinal é fácil evitar um filho, há tantos meios no mercado, dentre eles o uso constante do preservativo e a utilização da pílula anticoncepcional, e o que  podia conceber uma criança, podia ser uma doença sexualmente transmissível.